René Jansen, KSA: a regulamentação alemã pode aprender com a experiência de apostas holandesa

René Jansen, KSA: a regulamentação alemã pode aprender com a experiência de apostas holandesa

René Jansen, Presidente do Kansspelautoriteit (KSA), a Autoridade do Jogo dos Países Baixos, falou em Berlim para reconhecer semelhanças entre os mercados de apostas holandês e alemão.

A indústria holandesa de apostas e jogos expandiu-se exponencialmente desde a revitalização da Lei KOA, que concedeu 10 novas licenças a 1 de Outubro de 2021 após ter reregulamentado o mercado online.

Desde a sua criação, o mercado do país conquistou 20 operadores, no entanto, de acordo com Jansen, esta situação tem visto um “bombardeamento da publicidade”, um desenvolvimento que tem resultado em algumas críticas públicas e políticas.

Falando no Jogos na Alemanha na conferência, Jansen observou que os operadores aderiram a normas oficiais – tais como restrições de tempo na publicidade a jogos de azar e evitar a comercialização a grupos vulneráveis, e uma proibição recente da utilização de “modelos” como os futebolistas nesse material.

Contudo, acrescentou que a presença de anúncios publicitários na rádio e televisão “causou uma agitação na nossa sociedade”, com alguns “líderes de opinião” a levantarem preocupações sobre o impacto que isto poderia ter na toxicodependência.

Ele afirmou: “As experiências adquiridas durante a abertura do mercado nos Países Baixos podem ser de interesse para a situação alemã. Também aqui, na Alemanha, pode surgir controvérsia devido à aceitação social limitada dos jogos de azar.

“Especialmente com o próximo Campeonato do Mundo de Futebol, é de esperar uma pressão publicitária adicional. Os novos titulares de licenças vão querer apresentar-se e mostrar-se ao público em geral. Isto também está relacionado com um importante interesse geral: canalizar os jogadores de operadores ilegais para operadores legais.

“Também aqui existe um risco considerável de descontentamento público, o que pode levá-lo a pensar em medidas adicionais – e sobretudo preventivas. Não só por parte do governo, mas também por parte do próprio sector. Uma opção possível aqui seria acordos abrangentes feitos pelo sector que visem controlar o volume de publicidade”.

As preocupações do público com a publicidade a jogos de azar nos Países Baixos suscitaram novas acções políticas por parte das autoridades neerlandesas, nomeadamente de Vento de franco Weerwind, Ministro da Protecção Jurídica.

Segundo os actuais planos governamentais, o patrocínio desportivo de jogos de azar em linha juntamente com “publicidade não direccionada” de tais produtos será proibido até ao final de 2025, devendo este último ser proibido até 1 de Janeiro de 2023.

Centrando-se noutros desenvolvimentos do mercado, Jansen comentou a protecção dos jogadores, encorajando as autoridades reguladoras alemãs e de outros países a examinar os resultados do relatório da KSA sobre a forma como o dever de cuidado pode ser priorizado.

Sobre as medidas de protecção dos jogadores na Alemanha, disse ele: “Surpreendentemente, a Alemanha escolheu um limite de jogo de 1.000 euros, aplicado sobre todos os titulares de licenças. Tanto quanto sei, a Alemanha é o primeiro país da Europa a decidir sobre um limite tão rigoroso.

“Será interessante ver como isto funciona na prática e se terá um efeito na canalização dos jogadores e como será eficaz para prevenir vícios de jogo e danos financeiros”.

Contudo, afirmou que os operadores de apostas têm a responsabilidade última pela protecção do jogador, afirmando que “o jogo não é apenas mais um produto” e que os operadores devem ser responsáveis pela prevenção de problemas de jogo.

“Não vos digo nada de novo quando digo que o sector do jogo não tem propriamente uma imagem rosada”, continuou a Cadeira. “Os operadores legais enfrentam aqui um importante desafio. A confiança é algo que precisa de ser construído.

“Temos de compreender que a confiança leva anos a construir e apenas um momento para se despedaçar. Ou traduzir literalmente do provérbio holandês: a confiança chega a pé e parte a cavalo”.

Jansen terminou o seu discurso desejando boa sorte ao Gemeinsame Glücksspielbehörde der Länder (GGL), o regulador de jogo recém-formado da Alemanha, estabelecido como uma disposição da Quarto Tratado Interestadual de Jogo a Dinheiro (GlüNeuRStv).

No início deste mês, Jansen falou do dever de cuidado da Autoridade Holandesa de Jogos na Associação Europeia para o Estudo do Jogo em Oslo, afirmando que o comportamento dos fornecedores de jogos de azar “deixa muito a desejar”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.